Demanda global por transporte aéreo de passageiros cresce 4,3% em abril

Demanda global por transporte aéreo de passageiros cresce 4,3% em abril

maio 29, 2019 0 Por Julia Cabernet

Comparação com o mesmo período de 2018 aponta que o número assentos oferecidos pelas companhias aéreas aumentou 3,6%

A demanda aérea mundial (medida em número de passageiros por quilômetro voado, ou RPK) cresceu 4,3% em abril na comparação com igual período do ano anterior, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, 29, pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês).

Já a capacidade (assentos-quilômetros ofertados, ou ASK) aumentou 3,6% na mesma base de comparação, resultando em um acréscimo de 0,6 ponto porcentual na taxa de ocupação, para 82,8%, um recorde para o mês de abril, superando o recorde de 82,2% alcançado no ano passado. Regionalmente, África, Europa e América Latina reportaram taxas de ocupação recordes no período.

Em nota, a associação ressalva que há distorções no comparativo mês contra mês pelo fato do feriado de Páscoa, que em 2018 foi comemorado em 1º abril, ter caído mais tarde em 2019 – em 21 de abril.

“Registramos um aumento sólido, mas não excepcional da demanda por viagens aéreas em abril. Isso se deve em parte ao timing mais tardio da Páscoa, mas também reflete a desaceleração da economia global. No entanto, as companhias aéreas estão fazendo um bom trabalho de gestão da utilização de suas aeronaves, o que nos levou a fatores de ocupação recorde”, afirma em nota o diretor geral e CEO da Iata,Alexandre de Juniac.

Em abril, o tráfego de passageiros em rotas internacionais cresceu 5,1% em relação a abril de 2018. Todas as regiões apresentaram crescimento no comparativo anual, influenciado por aéreas da Europa. A capacidade total aumentou 3,8%, levando a um aumento de 1,1 ponto porcentual (p.p.) na taxa de ocupação, para 82,5%.

Tráfego doméstico

No mês passado, a demanda doméstica cresceu 2,8%, indicando uma desaceleração frente ao crescimento de 4,1% registrado em março no comparativo anual. A tendência de retração segue impactada por eventos ocorridos na China e na Índia. A capacidade doméstica aumentou 3,2%, com o fator de ocupação recuando 0,3 p.p., para 83,2%.

Na China, o tráfego doméstico aumentou 3,4% em abril, acima da alta de 2,8% atingida em março, mas ainda inferior a média do período 2016-2018, quando o crescimento médio estava em 12%. O desempenho, segundo a Iata, é reflexo da guerra comercial com os EUA e desaceleração dos indicadores econômicos do país.

O tráfego doméstico da Índia caiu 0,5% em abril frente a um ano antes, em razão da suspensão das operações daJet Airways. O resultado marca a primeira queda mensal registrada pelo país em seis anos.