Morre no Rio o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos – G1

Morreu na noite desta sexta-feira (25), aos 84 anos, o professor aposentado e cientista político Wanderley Guilherme dos Santos. Ele estava internado desde quinta-feira (24) no Hospital Samaritano, Zona Sul do Rio, e não resistiu a complicações de uma pneumonia.

O velório está previsto para a manhã da próxima segunda-feira (28), no Caju, onde o corpo será cremado.

Wanderley graduou-se em filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1958 e fez doutorado em ciência política em Stanford (EUA) em 1969.

Trabalhou por mais de 20 anos na UFRJ, onde deu aula de democracia e teoria política.

Ele também fundou o Instituto Universitário de Pesquisa do Rio (Iuperj, atual Iesp-Uerj), em 1969.

O professor dedicou a vida aos estudos sobre os regimes militares na América Latina e à formação de movimentos sociais.

Seu primeiro trabalho publicado, em fevereiro de 1962, foi um artigo que se tornou uma referência: Quem dará o Golpe no Brasil, no qual antecipava e explicava o golpe militar que viria a ocorrer dois anos depois.

Publicou também Décadas de Espanto e uma Apologia Democrática, Roteiro Bibliográfico do Pensamento Político-Social Brasileiro, O Ex-Leviatã Brasileiro: do Voto Disperso ao Clientelismo Concentrado e Paradoxos do Liberalismo: Teoria e História.

Ele tinha acabado de escrever um livro sobre a eleição do presidente Jair Bolsonaro, que deve ser publicado nos próximos meses.

“Ele fará falta, porque era um intelectual verdadeiro. A principal característica era a independência intelectual e a forma larga de pensar o Brasil no Brasil. Ele veio do Catumbi, e falava muito sobre essa origem. O Brasil perde um dos seus grandes intelectuais. Ele fará falta como amigo e principalmente como pensador e crítico da sociedade”, Yvonne Maggie, antropóloga, escritora e blogueira do G1.

“Uma notícia tristíssima. Wanderley (ninguém o chamava por seu sobrenome) foi o maior cientista político do Brasil e um intelectual público como poucos. Fui seu aluno e tive a sorte de participar de bons debates com ele”, Jairo Nicolau, pelo Twitter.

“Vai fazer muita falta o professor Wanderley Guilherme dos Santos. Que descanse em paz. Sua obra é eterna e seguirá influenciando gerações e gerações de pessoas que querem um Brasil justo”, Paulo Pimenta, deputado federal pelo PT

“Meus sentimentos à família, aos amigos e aos alunos do professor Wanderley Guilherme dos Santos, fundador do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da @UERJ_oficial, um dos maiores cientistas políticos do Brasil. Descanse em paz!”, Fabiano Contarato, senador pela Rede

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui